18.5.15

Spring Time!


[...ai, corra e olhe o céu que o sol vem trazer: bom dia!]

Sumi. Estava arrumando algumas coisas - dentro e fora da cabeça. Confesso que pensei em deixar meu Blog. Gostaria de me dedicar mais aos posts como 'antigamente'. Aí voltei no tempo. Reli textos que escrevi há 5 anos atrás. Tem tanta verdade nesse espaço, tantos começos e recomeços, tantos sonhos registrados... Mudei de idéia. Não posso interromper essa trajetória virtual. Não sei quem está aí do outro lado lendo isso. Às vezes recebo mensagens dizendo que minhas imagens e textos inspiram muito - fico feliz! Foi um longo inverno: muito frio, cafés, caminhas, croquis e idéias rabiscadas. A primavera chegou com uma vontade de jogar tudo isso para a realidade, sem medo. Sou paciente (...e insistente). E sou humano como você: tenho inseguranças, preguiça, medos - e tem dias que eu não quero fazer absolutamente, a não ser ficar deitado na minha cama branca olhando para o teto. Branco. Silêncio. E são nesses gaps onde as melhores idéias surgem na minha cabeça louca.

...I jump so High!


{ Lion Babe | meu mais novo vício musical }

Spring Time in New York!
It's time to smell the roses...


Trouxe esse par de sapatos do Brasil e esqueci na mala. 
Dia desses tive uma bela surpresa: são perfeitos para a Primavera!

Always Spring at Home!
Simple & Chic


Mudem a posição dos móveis. Coloquem flores naturais em um vaso simples. Tragam a cadeira da sala para o quarto. Tirem tudo dos lugares. Movimentem a energia dentro de casa! Abram as janelas. Deixem o sol entrar! Caprichem nos detalhes: até mesmo um par de sapatos bem posicionado pode decorar um canto de casa. Prezo sempre pela simplicidade no meu trabalho e na minha casa.


Tenho paixão por tulipas - Acho que dá para perceber... 
Gosto de planta, de mato, de árvore, de verde. Sempre gostei.
Adoro a sensação de limpeza. Sinto paz, tranquilidade.


...e de vez em quando troco tulipas por rosas.
Não abro mão de flores naturais, mesmo sendo mais caras que as artificiais.
Elas emprestam sua beleza e morrem, rápido até. Nada é para sempre! 


Estátua da liberdade, meias listradas, livros, flores, meus prédios favoritos...
Tudo dentro da minha casa tem uma história.
Parece clichê, mas não é: estou cercado de memórias.

You're supposed to stop and smell the roses
But truth be told: it doesn't take to long to smell them
You hardly have to stop. You can smell the roses and
 still have time to run all those errands before 
the sun goes down and it's dinner time.


Tempo, todos nós temos de sobra, mas o administramos muito mal.
As flores estão por toda parte na cidade, mas ao invés de admirá-las, olhamos para nossos celulares! Tem horas que gosto de me desconectar disso tudo.

Central Park Spring Walks 
[ Nada melhor que uma boa caminhada para pensar na vida...]


As fotos acima foram feitas no início de Abril. Impressionante como tudo já está verde no início de Maio. Caminhar pelo Central Park é muito bom. Gosto de prestar atenção nas pessoas, nos esquilos, nas árvores, nos imponentes prédios que beiram o parque. Tudo tão perfeito e majestoso...


O início da primavera está sendo muito bom. Muitas pedaladas por Astoria nos fins de semana. Visita de amigos... Boas lembranças! Tenho tirado muitas idéias do papel. Chegou a hora! Aos poucos, tudo vai virando realidade... Não tenho pressa. Reconheço que tudo leva um tempo para acontecer. 


Tudo me inspira: cores, texturas, sapatos, bebidas, volumetrias...

Kentucky Derby 2015
{ Williamsburg, Brooklyn }


Pela primeira vez me reuni para assistir à famosa corrida de cavalos de Kentucky. Apostas feitas, Buorbon no gelo, churrasco, chapéus, charutos e gravatas. Meu cavalo não ganhou... O jeito foi continuar a bater papo e beber Buorbon! Dia feliz!

Keep your head up to the sky...


Num desses dias saí do trabalho e fui direto para casa. Dia de sol com pancadas de chuva. Céu dramático, cinza e dourado. Ventava. Cheguei em casa, fiz café. Cheiro de chuva. Música. Quando abri a cortina branca, um arco-íris estava saindo de uma nuvem e 'caindo' sobre a velha igreja. Deus é tão grandioso e perfeito! Nos dá tantas respostas através de coisas e momentos tão simples. A primavera segue intensa e eu continuo arrumando as coisas dentro e fora da cabeça. A cada dia que passa, tenho mais certeza de que o caminho é longo e difícil, e que nada é impossível. 


{ Voltei a escutar essa música }

...once I was a prisoner
Lost inside myself
With the world surrounding me
Wandering through the misery
But now I am free

You gave me a breath of life
Unclouded my eyes
With a sweet serenity
Lighting a ray of hope for me...
And now I am free

I'm free to Live,
Free to laugh,
Free to soar,
Free to shine,
Free to give,
Free to love.
Free enough to fly...

Once I was all so alone,
Unsteady and cold
But your love rained down upon me
Washing away uncertainty...

and now,
I am free!

Thank you Lord.
(+fonte fotos | arquivo pessoal)

16.3.15

1 year in New York - Part 1!


[ No alto, eu no Brooklyn, 1 de Março de 2015 ]

Era uma sexta-feira de sol, véspera de carnaval - 15h da tarde e eu estava de frente para a Lagoa Rodrigo de Freitas, olhando para o Cristo, com meu passaporte e um visto para me mudar para Nova York. Eu não podia esperar mais um dia - não podia (...e não queria) nem mesmo esperar pelo carnaval. Liguei para minha mãe: '...compre por favor a passagem para amanhã de manhã'. Passei na casa dos meus tios em Copacabana para dar um abraço de despedida. De Copacabana para a Tijuca. Deixei todos os documentos em casa e segui para um restaurante com a minha família e amigos próximos para um 'tchau' antes do embarque. Faltava o essencial: fazer as malas. Cheguei em casa depois da meia noite e comecei então a fazer as malas. O vôo saía as 8 da manhã e às 5:30 eu ainda tentava enfiar mais uma xícara da Alessi nas malas que mal fechavam! Deixei roupas, mas trouxe minha Tolomeo, Francesco (meu cachorro de plástico), o calendário do Enzo Mari e meu Eames Bird - que em Nova York ganhou o nome de Miles. Não deu muito para pensar. Vim.

...1 year in Nova York:
Making it through the rain.

1 - Março foi intenso! Agradeço a Deus por tudo que vivi neste primeiro mês aqui. Quantos ensinamentos em pouquíssimo tempo. No dia 9 de março, na Starbucks da Union Square, 'nasceu' Chips. Comecei a sonhar com listras vermelhas e brancas. Trabalho novo, pessoas novas, cidade nova. Folha em branco. Goldstar - o goldfish - ganhou vida.


2 - Em Abril eu ganhei uma casa. Hora de pintar as paredes do meu quarto de branco! Lembro do cheiro ao terminar de pintar e arrumar o quarto. Sensação de 'casa'. Início da primavera. As árvores do Central Park ficaram verdes; flores e cores por todos os lados. Mais um mês de grandes ensinamentos. Vivi tanta coisa boa neste mês. Guardo ótimas recordações de Abril...


3 - Maio trouxe um pouco de calor para Nova York. Um mês que me fez pensar muito na vida. Momentos ótimos; momentos péssimos. Em um desses momentos ruins, olhei pela janela do meu quarto e fotografei nuvens. 13 de Maio: dia de Preto Velho. Muita oração e pedidos. Goldstar morreu - eu o joguei no lago do Central Park. Mês de picnic, caminhadas por Park Slope e festival de arte em Bushwich.


4 - Junho chegou com muito calor - verão! Tempestades, raios e trovões. Foi um mês divertido, com vida social intensa. Muitas festas, eventos, noites no Brooklyn ao lado de amigos. Tardes no Northern Territory em Greenpoint vendo o pôr do sol. Peguei muito sol no Central Park e assisti aos jogos da Copa do Mundo em Astoria.


5 - Julho - auge do verão! Recebi a visita de velhos amigos. Longas conversas! Como foi bom! Vi Nova York do alto - Meia noite e eu estava no topo do Empire State Building. Comprei minha bicicleta e a chamei de Brownie. Um mês difícil emocionalmente falando; talvez o mais importante desde que eu cheguei. Fé e força.


'...and every time I feel afraid, I hold tighter to my faith
and I live one more day, and I make it through the rain...'

6 - Agosto - Depois da tempestade, a calmaria. O verão caminhava para o seu fim (graças a Deus!). Fazia ainda um certo calor. Um mês em que visitei muitos museus. Almoço com amigos no Katz Deli; longas caminhas por Manhattan. Muitas cor.


Adoraria mostrar aqui muito mais. São tantas fotografia!
Olho para trás - agradeço por tudo que vivi. 

Em breve mostrarei imagens de 
Setembro de 2014 a Fevereiro de 2015! Que ano!

Grazie Mille!
(fonte fotos | arquivo pessoal)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...